sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Produção de um texto Manifesto.

Um alerta contra a má influência dos Videogames.

Caro leitor, se você acha que seus filhos estão seguros dentro de um quarto apertando botões e olhando para uma super tela de LCD...
Você pode estar enganado!
Não querendo desfazer daqueles jogos fascinantes que parecem vidrar nossos olhos como se fossem um espelho de um filme de aventuras e perigos, apenas querendo alertar-lhe sobre a má influência que eles podem causar às crianças desavisadas e muitas vezes longe de seus pais quando ocupados em seus trabalhos.
Jogos diversos, principalmente aqueles nos quais jogadores têm que lutar ou até mesmo matar os outros personagens. Sem contar que essas crianças ficam com a falta de exercícios físicos tão necessários nessa fase de crescimento.
Veja bem, se seus filhos ficam horas e mais horas na frente de uma tela de TV estão deixando de jogar futebol, caminhar, brincar, enfim, estão deixando de se exercitarem de um modo geral, e perdem uma oportunidade daquelas de colocar o papo em dia com os amigos.
A propósito: crianças, adolescentes e também alguns adultos pensem bem antes de trocar uma vida saudável e a companhia dos seus amigos por um jogo de videogame.

Cataguases, 2 de setembro de 2008
Gabriela Henriques Fernandes.

8 comentários:

rafael disse...

Eu gostei muito do texto que eu li ele fala realmente toda a verdade sobre o que o vídeo game pode trazer de ruim para nós eu sei por que tenho 15 anos e eu estava ficando viciado em vídeo game e deixei um pouco de praticar esportes, como eu jogo no sub-15 do clube do Remo as pessoas começarão a me vaiar por que eu não estava rendendo nada então aposentei o vídeo game e hoje sou muito mais feliz !!!!!

Rafael Oliveira, Belém do Pará

hory disse...

You the plis don´t end know like me did you... yes!!!


Hiro orih,New York

hory disse...

And right then, Kenny went by to get his lunch. I know Kenny can´t


Hory Yroh, New York

José Francisco 7ªE disse...

Gabriiela, ficou ótimo..
Parabéns pelo seu trabalho !
Um beejão do seu amigo Zée

Gleucia Webster disse...

Oi, Amor!
Estou com saudade!
Beijos.

Marcelo disse...

fikou muito bom ! gostei!
eu tb tenho um blog entra la galera?
esportemarcelo.blogspot.com
flw abrass

Anônimo disse...

Com todo respeito Sra. Gleucia,antes de postar algum texto em seu blog,tenha total conhecimento do assunto, sinto lhe dizer que este em que voce trata,no texto é algo que voce nao tem conhecimento algum. Voce citou um exemplo de um joven viciado em video-games e a sitação descrita é impossivel e preconceituosa, e posso afirmar com total certeza que voce não tem filhos. Espero que meu comentario sirva como um conselho para a melhora de seus proximos textos.

Anônimo disse...

Independentemente do conhecimento de causa que a autora tem, suas colocações são bastante coerentes:
1. passar muito tempo no videogame já é prova de que o indivíduo não assume muitas responsabilidades (algo que a vida atual exige muito); 2. não é preciso ter muito conhecimento para entender que nossos jovens estão participando de uma inversão de valores gritante; 3. o argumento é claro, o videogame é uma máquina de fabricar sedentários. Por último, no videogame os jovens esquecem que a vida é feita/processada a partir múltiplas ações culturais - o videogame é apenas uma delas.